JAPÃO: atualidades, economia, população, cultura, geografia

03/10/2014 15:17

DADOS PRINCIPAIS

ÁREA: 372.819 km²

CAPITAL DO JAPÃO: Tóquio

POPULAÇÃO: 127,3 milhões (2013)

MOEDA DO JAPÃO: iene

NOME OFICIAL: Japão ( Nippon )

NACIONALIDADE: japonesa

DATA NACIONAL: 11 de fevereiro (fundação do país); 23 de dezembro (aniversário do imperador).

LOCALIZAÇÃO: leste da Ásia

FUSO HORÁRIO:  + 12 horas em relação à Brasília

CLIMA DO JAPÃO : temperado continental (Norte) e subtropical (Sul)

CIDADES DO JAPÃO (PRINCIPAIS):  Tóquio, Osaka; Yokohama, Nagoya, Sapporo, Kyoto, Kobe.

COMPOSIÇÃO DA POPULAÇÃO: japoneses  e descendentes 99%, coreanos 1% (2006)

IDIOMAS: japonês (oficial)

RELIGIÃO:  xintoísmo e religiões derivadas 51,3%, budismo 38,3%, cristianismo 1,2%, outras 9,2% (1992)

DENSIDADE DEMOGRÁFICA: 337 hab./km2

CRESCIMENTO DEMOGRÁFICO: 0,2% ao ano (1995 a 2000).

TAXA DE ANALFABETISMO: 1% (2013)

RENDA PER CAPITA: US$ 36.200 (2012)

IDH: 0,980 (2013)

 

           

                RENASCE O CAPITALISMO JAPONÊS

            Um dos fatos que mais marcaram a segunda metade do século XX foi à rápida reconstrução do espaço geográfico do Japão.

Como sabemos, o Japão foi derrotado na segunda Guerra Mundial, e muitas de suas cidades foram destruídas. Em Hiroshima e Nagasaki, alvos das bombas atômicas lançadas pelos Estados Unidos, a devastação total.

Após se render, o Japão permaneceu ocupado pelos EUA até 1952, quando recuperou a independência. Sua reconstrução foi financiada pelos Estados Unidos,que criaram para a Ásia e a Oceania o Plano Colombo,um plano de investimentos semelhante ao Plano Marshall, mas bem menos ambicioso. 

A revitalização econômica japonesa deu-se seguindo os modelos capitalistas. A reabertura de indústrias e escolas promoveu o emprego e a capacitação  educacional e  tecnológica. Milhares de estudantes japoneses foram incentivados a viajar ao exterior para se aperfeiçoar.

            Os trabalhadores foram envolvidos na recuperação das fábricas e estimulados a realizar horas extras. Ao mesmo tempo, foram implantados programas de controle de qualidade, voltados para analisar minuciosamente todas as mercadorias produzidas pelas indústrias. Buscava-se, assim, competir no mercado oferecendo produtos de melhor qualidade.

            Os japoneses estavam preocupados em conquistar novos consumidores em nível mundial. O país também investiu em tecnologias revolucionárias, como a automação e a robotização, que em muitas áreas substituíam o trabalho humano.

            Na década de 1950, a produção industrial japonesa retornou uma franca recuperação, e os recursos do Plano Colombo já estavam sendo aplicados em educação e tecnologia.

            Os Zaibatsus se reorganizaram. A existência de mão de obra especializada aumentou a produtividade, baixando os custos.

            Nas décadas de 1960 e 1970, o Japão completou sua política de reconstrução, implantando um ambicioso projeto que o transformou numa poderosa Plataforma de Exportações.

            Uma das consequências mais importantes foi a gigantesca expansão das exportações japonesas. Ano após ano elas cresciam, e o país acumulava os recursos provenientes de uma balança comercial sempre favorável. Graças aos seus gigantescos superávits comerciais, o Japão passou a ter recursos suficientes para comprar de outros países as matérias-primas de que sempre precisou.

          

              OS ZAIBATSUS

            No final do século XIX, o Japão passou a ser governado pelo imperador Meiji, que conduziu o Japão a uma revolução industrial.

            As ricas famílias do país foram estimuladas a implantar indústrias. Em troca, teriam o monopólio dos setores em que atuassem. Por exemplo, a família Honda teve o monopólio da fabricação de motores no país.

            Surgiram, desse modo, gigantescas empresas familiares conhecidas como zaibatsus. Durante esse período histórico, chamado de Era Meiji, o espaço geográfico japonês se modernizou. A população deixou os campos e migrou para as cidades, que cresceram muito.

            AGRICULTURA: Pouco espaço, muita tecnologia

            Cerca de 70% do território japonês é ocupado por montanhas, o que limita a área de cultivo no arquipélago. As terras agricultáveis ocupam apenas 14,3% da superfície, cerca de 5,4 milhões de hectares.

            Para compensar o pequeno espaço disponível para a agricultura, a terra é trabalhada para obter elevada produtividade, com o emprego de adubos, máquinas, irrigação, rotação de culturas e muitos outros procedimentos técnicos. Todas as áreas são aproveitadas, mesmo as situadas em colinas e morros, onde a agricultura japonesa chega a obter, numa mesma área, até quatro colheitas anuais.

            As propriedades rurais são pequenas, com área média cultivável de 1,7 hectares. Mas, de modo geral, predominam as propriedades com menos de um hectare, somadas representam cerca de 71% do total.                                                                                                                                                                                                              Imperador Meiji

            Os principais produtos agrícolas do Japão são: arroz, trigo, cevada, batata, hortaliças e frutos. O arroz ocupa 60% da área cultivada e apresenta o maior índice de produtividade do mundo. Nos últimos anos, entretanto, esse cereal, cuja produção era totalmente consumida pela população, tem apresentado excedentes devido às mudanças dos hábitos alimentares da população, Isso levou as autoridades a incentivar a produção de frutos, hortaliças e a criação de gado bovino.

            A produção agrícola, apesar de elevada, é insuficiente para atender ao consumo do país. O Japão produz cerca 75% de suas necessidades alimentares, mas depende da importação de produtos como trigo, açúcar, milho, soja e carne.

 

            O espaço industrial e recursos minerais limitados

            Apesar da posição ocupada pelo Japão na economia mundial, com o terceiro maior PIB do mundo (2010), o desenvolvimento industrial desse pais depende  da importação de matérias-primas, pois o território japonês é limitado em recursos minerais, explora (calcário, enxofre, asfalto natural). Assim, o Japão importa todo o petróleo de que necessita, cerca de 90% do minério de ferro manganês, 80% de cobre e muitas outras matérias-primas necessárias para abastecer suas indústrias.

            Para superar essa limitação o pais adotou uma agressiva política de exportação. Com preços competitivos, resultado do desenvolvimento de inovações tecnológicas na produção, conquistou grandes mercados, não só asiáticos, mas também norte-americanos e europeus. Alem disso, investiu maciçamente na atividade de mineradora fora de seu território, garantindo o suprimento de matérias-primas importantes, e estimulou a pesquisa cientifica e tecnológica, tornando-se líder em inovações, como é o caso da robótica. A Indústria japonesa, produz  máquinas, equipamentos de transporte, produtos eletroeletrônicos, siderúrgica (aço e ferro).

            Pecuária e pesca

        Assim como a agricultura, a pecuária também enfrenta problemas de espaço no Japão. Apesar de não existirem áreas para a ampliação de pastagens, tem havido aumento do consumo de carne, leite e derivados, o que é suprido por meio do aumento das importações.

        O rebanho é pequeno em relação à população, o gado de corte e leiteiro totalizam apenas 4,5 milhões de cabeças, o que corresponde à relação de uma cabeça de gado para cada grupo de 28 pessoas (no Brasil tem mais gado bovino do que habitantes). O rebanho de suínos é mais numeroso, somando aproximadamente 10 milhões de cabeças.

        Merece destaque a atividade pesqueira, em que o Japão se destaca como o quarto país na produção de peixe, sendo superado pela China, Peru e Estados Unidos. Os produtos da pesca têm grande importância na alimentação da população, sendo a grande fonte de proteínas.

 

C      Clima do Japão



Chuva e vento em Osaka: influência da maritimidade

 

             Aspectos gerais do clima no Japão

 

·         Em função do formato alongado do território japonês, o clima é muito variado. Por ser composto por um conjunto de ilhas, o território japonês sofre de várias interferências climáticas oceânicas. A maritimidade (influência da umidade do mar) é significativa no clima japonês.

·         A forte interferência das massas de ar úmidas do Oceano Pacífico explica a alto índice pluviométrico anual do país: cerca de 1.110 mm.

·         As quatro estações do ano são bem definidas. As chuvas se concentram nos meses anteriores e posteriores ao verão. Já no inverno, o território japonês sofre a influência da Massa de Ar da Sibéria que derruba drasticamente as temperaturas.

 

            Particularidades

 

·         A Ilha de Hokkaido (norte) apresenta clima temperado continental frio.

·         A Ilha de Honshu (região central) apresenta clima temperado oceânico com fortes influências das massas de ar úmidas do Pacífico. O índice pluviométrico anual na ilha é alto, ficando em torno de 1.300 mm.

·         As Ilhas de Kyushu e Shikoku (região sul) apresentam clima subtropical. O clima é ameno em decorrência da influência da corrente marítima do Japão.

 

                Dados gerais:

 

·         - Temperatura média: 5 °C no inverno e 25 °C no verão.

·         - Índice pluviométrico (chuvas) anual: 1.100 mm

 

 

            IMIGRAÇÃO JAPONESA NO BRASIL

            

 Kasato Maru: navio que trouxe os primeiros japoneses ao Brasil

  

Introdução 

 

No ano de 2008, comemoramos, aqui no Brasil, 100 anos da imigração japonesa. Foi em 18 de junho de 1908, que chegou ao porto de Santos o Kasato Maru, navio que trouxe 165 famílias de japoneses. A grande parte destes imigrantes era formada por camponeses de regiões pobres do norte e sul do Japão, que vieram trabalhar nas prósperas fazendas de café do oeste do estado de São Paulo.

 

Motivos e início da imigração 

 

No começo do século XX, o Brasil precisava de mão de obra estrangeira para as lavouras de café, enquanto o Japão, passava por um período de grande crescimento populacional. A economia nipônica não conseguia gerar os empregos necessários para toda população, então, para suprir as necessidades de ambos países, foi selado um acordo imigratório entre os governos brasileiro e japonês. 

Nos primeiros dez anos da imigração, aproximadamente quinze mil japoneses chegaram ao Brasil. Este número aumentou muito com o início da Primeira Guerra Mundial (1914-1918). Pesquisas indicam que de 1918 até 1940, aproximadamente 160 mil japoneses vieram morar em terras brasileiras. A maioria dos imigrantes preferiam o estado de São Paulo, pois nesta região já estavam formados bairros e até mesmo colônias com um grande número de japoneses. Porém, algumas famílias espalharam-se para outros cantos do Brasil como, por exemplo, agricultura no norte do Paraná, produção de borracha na Amazônia, plantações de pimenta no Pará, entre outras.

        Dificuldades e desafios

 

        O começo da imigração foi um período difícil, pois os japoneses se depararam com muitas dificuldades. A língua diferente, os costumes, a religião, o clima, a alimentação e até mesmo o preconceito tornaram-se barreiras à integração dos nipônicos aqui no Brasil. Muitas famílias tentavam retornar ao país de origem, porém, eram impedidas pelos fazendeiros, que as obrigavam a cumprir o contrato de trabalho, que geralmente era desfavorável aos japoneses. Mesmo assim, eles venceram estes problemas e prosperam. Embora a ideia inicial da maioria fosse retornar para a terra natal, muitos optaram por fazer a vida em solo brasileiro obtendo grande sucesso.

        Durante o período da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), os japoneses enfrentaram muitos problemas em território brasileiro. O Brasil entrou no conflito ao lado dos aliados, declarando guerra aos países do Eixo (Alemanha, Itália e Japão). Durante os anos da guerra a imigração de japoneses para o Brasil foi proibida e vários atos do governo brasileiro prejudicaram os japoneses e seus descendentes. O presidente Getúlio Vargas proibiu o uso da língua japonesa e as manifestações culturais nipônicas foram consideradas atitudes criminosas.

        Com o término da Segunda Guerra Mundial, as leis contrárias à imigração japonesas foram canceladas e o fluxo de imigrantes para o Brasil voltou a crescer. Neste período, além das lavouras, muitos japoneses buscavam as grandes cidades para trabalharem na indústria, no comércio e no setor de serviços.

        Contribuições

 

        Atualmente, o Brasil é o país com a maior quantidade de japoneses fora do Japão. Plenamente integrados à cultura brasileira, contribuem com o crescimento econômico e desenvolvimento cultural de nosso país. Os japoneses trouxeram, junto com a vontade de trabalhar, sua arte, costumes, língua, crenças e conhecimentos que contribuíram muito para o nosso país. Juntos com portugueses, índios, africanos, italianos, espanhóis, árabes, chineses, alemães e muitos outros povos, os japoneses formam este lindo painel multicultural chamado Brasil.

 

    Curiosidades:

 

·         - Estados brasileiros com maior porcentagem de descendentes de japoneses: São Paulo (1,9%), Paraná (1,5%) e Mato Grosso do Sul (1,4%).

·         - Denominações dos descendentes de japoneses: 1ª geração (isseis, imigrantes); 2ª geração (nisseis, filhos); 3ª geração (sanseis, netos); 4ª geração (yonseis, bisnetos).

·         - É comemorado em 18 de junho o Dia da Imigração Japonesa.

 

 

            INFORMAÇÕES E DADOS CURIOSOS DO JAPÃO        

 

- O Japão é o maior fabricante mundial de navios.

- O xintoísmo e o budismo são as religiões mais praticadas no Japão.

- Um costume comum no Japão é a troca de presentes entre amigos no meio e no fim do ano.

- Outro costume bem interessante é que os japoneses tiram os calçados antes de entrar em casa. Dentro de casa, usam um chinelo especial chamado suripa.

- O kimono é a roupa mais tradicional da cultura japonesa. Ela é muito usada, em ocasiões especiais, por crianças e adultos de ambos os sexos.

- Uma das bebidas mais tradicionais do Japão é o saquê. Originária no século III, ela é fabricada a partir da fermentação do arroz.

- O povo japonês é o maior consumidor de carne de baleia do mundo. Este tipo de carne é muito apreciada na culinária japonesa.

- No Japão existem muitos banhos públicos.

- O Japão é o país que tem a população mais vidrada em tecnologia do mundo.

- Embora apresente alto grau de desenvolvimento econômico, cultural e tecnológico, o Japão ainda utiliza o sistema de pena de morte.

- Um aspecto muito tradicional da cultura japonesa é a cerimônia do chá.

- Ao contrário da cultura ocidental, os japoneses costumam fazer barulho de sucção ao tomarem sopa. É uma demonstração de polidez durante a refeição.

- Nas casas mais antigas ainda é comum a existência das bacias turcas, vasos sanitários para serem usados na posição agachada.

- Limpar a residência no primeiro dia do ano é uma tradição muito comum entre as famílias japonesas. Outro costume muito comum nesta data é a entrega de dinheiro, dentro de envelopes, aos parentes.

- Na véspera da chegada da Primavera, os japoneses costumam atirar grãos de feijão pela janela. É um costume para atrair sorte e energias positivas.

- O Japão é o país onde se mais produz e consome quadrinhos e desenhos animados do mundo. Os mangás e animes fazem parte da cultura japonesa.

- O Japão é o país que mais sofre com a ocorrência de terremotos. Porém, o setor de engenharia desenvolveu técnicas de construção de edifícios que fazem com estes não desabem com os abalos sísmicos.

 

            CULTURA JAPONESA

Cerimônia do chá                        Origamis                                                              Tambores japoneses                      

           A cultura do Japão evoluiu muito ao longo dos milênios e possui influências da Ásia, Europa e América do Norte. A cultura japonesa e toda a cultura oriental são bastante diferentes do ocidente. Além dos costumes, o modo como vemos o mundo é totalmente diferente dos orientais. Para entender a cultura japonesa é bastante interessante fazer um comparativo para que possamos conhecer e assim respeitar as diferenças.

        Em relação a visão do mundo, a principal diferença está no fato de que os ocidentais enxergam cada indivíduo como um ser independente e responsável pelas suas ações. Já os orientais veem o coletivo, grosso modo, é como se um fosse responsável por todos. Esta é apenas uma das diferenças entre as culturas.

        As diferenças são comuns no mundo, afinal vivemos em um planeta que conta com diversos países. E é a distância entre os povos que faz com que cada região tenha os seus costumes peculiares. Confira, a seguir, um pouco mais sobre a cultura japonesa e suas diferenças em relação à cultura ocidental.

 

        Diferenças de Comportamento nas Culturas Japonesa e Ocidental

    Nas culturas ocidentais, nós nos comunicamos de uma forma muito direta. Por outro lado, no Japão, você vai ouvir palavras como “talvez” usadas com muito mais frequência. Isso não significa que todas as comunicações sejam “incertas” em japonês. Significa apenas que a língua japonesa não pode ser traduzida ao pé da letra para o português, e que, ao falar, o povo japonês tem um pouco mais de cuidado na elaboração da sua fala.

    Você já se perguntou por que as pessoas dos países do leste asiático se curvam com tanta frequência para outras pessoas? Embora a humildade e respeito sejam virtudes de caráter em qualquer cultura, o povo do Japão dá uma maior importância ao respeito do que a cultura ocidental. Os anciãos devem ser respeitados e precisam ser abordados com humildade, enquanto que na cultura ocidental, os mais jovens são capazes de se comunicar de igual para igual com os mais velhos.

      

        Diferenças Entre as Culturas do Ocidente e Oriente

        As diferenças nos costumes realmente são muitas, conheça algumas delas:

·         Quando perdemos um ente querido costumamos usar a cor preta para representar o luto. No oriente a cor usada para este fim é a branca.

·         Nossa escrita é formada por letras que juntas se tornam palavras. No oriente, cada “letra” representa uma palavra ou ideia.

·         Nós costumamos rezar para Deus, que está no céu. No oriente o costume é que cada um reze para despertar o Deus que está dentro de cada um.

·         Quando se fala em alimentos de sabor doce, logo pensamos nas crianças. No oriente, os pequenos gostam mesmo é das guloseimas de sabores mais ácidos e azedos.

·         Nosso calendário é baseado no sol, já dos orientais é baseado na lua.

·         Nós escrevemos seguindo a direção da esquerda para a direita, já no oriente é feito exatamente o contrário.

 

Pontos Turísticos e Culturais do Japão
 

   

Templo Sensoji (Tóquio), Castelo de Osaka, ParqueYamashita (Yokohama), Castelo de Nagoya 

  

            Introdução

 

·         A Japão é um país que se destaca pelas várias atrações turísticas voltadas, principalmente, para a História, Arte e Cultura. Em função de sua rica história e do bom desenvolvimento sócio-econômico, podemos encontrar em seu território, locais que atendem ao gosto de vários tipos de turistas. São muitos museus, parques, monumentos históricos, galerias de arte, belezas naturais, arquitetura antiga, etc.

 

Principais pontos turísticos e culturais do Japão:

 

Em Tóquio

· Museu Nacional de Tóquio
- Museu Metropolitano de Arte
- Museu Shitamachi
- Museu da Espada Japonesa
- Parque Nacional Chichibu-Tama
- Parque Nacional Meiji no Mori Takao
- Parque Nacional Fuji-Hakone-Izu
- Torre de Tóquio
- Palácio Imperial do Japão
- Templo Meiji
- Templo Sensoji

 

Em Osaka

·         - Castelo de Osaka
- Aquário de Osaka
- Museu da Cidade de Osaka
- Museu Municipal de Cerâmicas Orientais
- Parque Sumiyoshi
- Museu Marítimo de Osaka
- Museu de História de Osaka
- Museu de Ciência
- Parque Tennoji
- Museu Nacional de Arte

 

Em Yokohama

·         - Marine Tower
- Parque Yamashita
- Yokohama Doll Museum
- Kanagawa Museum of Modern Literature
- Shin-Yokohama Raumen Museum
- Landmark Tower

 

Em Kyoto

·         - Monumentos Históricos da Antiga Kyoto (Patrimônio da Humanidade pela UNESCO)
- Templo Kinkaku-ji 
- Palácio Imperial de Kyoto
- Jardins Shosei-en
- Jardins de Pedra
- Castelo Nijo 

 

Em Sapporo

·         - Torre do Relógio de Sapporo
- Torre de Televisão de Sapporo
- Sapporo Dome (estádio de futebol)
- Antigo prédio do governo de Hokkaido
- Parque Odori
- Museu da Cerveja de Sapporo
- Susukino

 

Em Nagoya

·         - Castelo de Nagoya
- Tokugawa Art Museum
- Nagoya/Boston Museum of Fine Arts
- Port of Nagoya Aquarium
- Toyota Commemorative Museum of Industry and Technology
- Atsuta Shrine
Nittaiji Temple
- Koshoji Temple
- ShiroyamaHakusan Shrine
- Nagoya City Science Museum