Posição Astronômica do Brasil

23/08/2014 15:15

Extensão Territorial e Posição Astronômica do Brasil

O Brasil é o quinto país do mundo em área total, superado apenas por Rússia, Canadá, China e EUA. Ocupa 20,8% das Américas e 47,7% da América do Sul. Medições mais recentes, feitas com novas tecnologias, concluíram que a área total do território brasileiro é maior do que se pensava antes: 8.547.403,5 km². Esse número abrange a soma das cinco grandes regiões e as ilhas de Trindade e Martim Vaz, com 10,4 km².

Brasil, um país multo extenso

O Brasil tem um dos mais extensos territórios do mundo: é o quinto maior país em área. 
Em relação aos países do continente americano, o Brasil tem o terceiro maior território, depois do Canadá e dos Estados Unidos, respectivamente. Dos países da América do Sul, é o maior em extensão.

É importante salientar, que seguindo o princípio das terras descontínuas, o Brasil é considerado o 5º maior país do mundo, mas se seguirmos o princípio das terras contínuas, o Brasil passa a ser o 4º maior país do mundo, superando os Estados Unidos.


OS SEIS PAÍSES MAIS EXTENSOS DO MUNDO

Rússia = 17075400 = Europa e Ásia
Canadá = 9970610 = América
China = 9 597 000 = Ásia
Estados Unidos = 9372615 = América
Brasil = 8547403 = América
Austrália = 7 682 300 = Oceania

Brasil: posição geográfica

O Brasil possui terras em três dos quatro hemisférios da Terra: norte, sul e oeste. 
O território brasileiro está situado totalmente a oeste do principal meridiano, meridiano de Greenwich (Inglaterra), Portanto, está inteiramente no hemisfério ocidental ou oeste.
A linha do Equador atravessa o norte do território, determinando a localização do país em dois hemisférios: 7% de terras ao norte, ou no hemisfério setentrional, e 93% de terras ao sul, ou no hemisfério meridional. O Brasil é o único país do mundo cortado pela linha do Equador ao norte e pelo trópico de Capricórnio, ao sul (23°27'}. Podemos observar que 92% do território brasileiro está na zona tropical ou inter-tropical e 8% na zona subtropical.
O Brasil ocupa o equivalente a 47% do território sul-americano, localizando-se na sua porção centro-oriental. Em terras brasileiras está o centro geográfico da América do Sul, localizado no estado de Mato Grosso. A leste, o Brasil é banhado pelo oceano Atlântico. Tem 23 086 km de fronteiras, sendo 15719 km terrestres e 7 367 km marítimas.
As fronteiras marítimas estendem-se da foz do rio Oíapoque, no Amapá (norte), até o arroio Chuí, Rio Grande do Sul (sul). Com exceção do Equador e do Chile, o território brasileiro faz fronteira terrestre com todas as nações da América do Sul. 
- Ao norte: Guiana Francesa, Suriname, Guiana e Venezuela.
- A noroeste: Colômbia. 
- A oeste: Peru e Bolívia. 
- A sudoeste: Paraguai e Argentina. 
- Ao sul: Uruguai.
Podemos ter uma noção da grandeza territorial do Brasil ao destacar seus pontos extremos: do ponto extremo norte (monte Caburaí) ao ponto extremo sul (arroio Chuí) são 4 394,7 km; do ponto extremo leste (ponta do Seixas) ao ponto extremo oeste (serra de Contamana) são 4 319,4 km. O Brasil é uma nação equidistante, isto é, praticamente tem as mesmas distâncias entre seus pontos extremos.

Localização

Porção centro-oriental da América do Sul, entre as latitudes +5o16’20'’ N e -33o44’32'’ S e entre as longitudes -34o47’30'’.O e -73o59’32'’ O. É cortado ao Norte pela linha do equador, que atravessa os Estados de Amazonas, Roraima, Pará e Amapá, e pelo Trópico de Capricórnio, que passa pelos Estados de Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo, aos 23o27’30'’ de latitude sul. A maior parte do território brasileiro fica no hemisfério Sul (93%) e na zona intertropical (92%).

Horário mundial

A Terra gira continuamente de oeste para leste. Cada volta de 360º dura cerca de 24 horas. Cada intervalo 15º (360 ÷ 24) de longitude corresponde a uma hora e equivale a um fuso horário. As horas aumentam a leste de Greenwich e diminuem a oeste.
Meio-dia – Adota-se, por convenção, que o meio-dia aparente local equivale ao momento em que o Sol estiver no seu ponto mais alto no céu. Diferenças de

fuso horário – Para efeito administrativo, os países que têm seu território atravessado por mais de um fuso horário adotam um ou mais horários formais para facilitar a comunicação interna. No Brasil, por exemplo, a cidade do Recife, capital de Pernambuco, está no fuso horário de 30º mas adota o horário de Brasília, que está no fuso horário de 45º. 
Linha Internacional da Data – O meridiano de 180ºé chamado Linha Internacional da Data. É, por convenção internacional, o meridiano que determina a mudança de data. Seja qual for a data a oeste da Linha, a leste está no dia anterior. Como a Terra gira de oeste para leste, quando é meio-dia de uma segunda-feira a leste da Linha, é meio-dia de terça-feira a oeste. 

 

Fusos horários brasileiros

 

O território brasileiro, incluindo as ilhas oceânicas, possui quatro fusos horários, todos a oeste do meridiano de Greenwich (longitude 0 graus). Em cada faixa de 15 graus entre pares de meridianos, ocorre a variação de uma hora. Isso significa que o horário oficial no Brasil varia de duas a cinco horas a menos, em relação à hora de Greenwich (GMT). O primeiro fuso (longitude 30° O) tem duas horas a menos que a GMT. O segundo (45° O) tem três horas a menos, e é a hora oficial do Brasil. O terceiro fuso (longitude 60° O) tem quatro horas a menos. O fuso que tinha cinco horas a menos em relação à GMT, deixou de existir em 24 de abril de 2008, quando a Lei Federal nº 11.662 reduziu a quantidade de fusos horários do Brasil para três. Mas em 30 de outubro de 2013, novamente dito fuso horário voltou a vigorar.

A seguir os fusos horários observados no Brasil:

·         UTC −2: Atol das Rocas, Fernando de Noronha, São Pedro e São Paulo, Trindade e Martim Vaz.

·         UTC −3 (horário de Brasília): Distrito Federal, regiões Sul, Sudeste e Nordeste; estados de Goiás,Tocantins, Pará e Amapá.

·         UTC −4: estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Roraima, e dois terços do estado do Amazonas.

·         UTC −5: estado do Acre, e treze municípios no oeste do estado do Amazonas (Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Boca do Acre, Eirunepé, Envira, Guajará, Ipixuna, Itamarati, Jutaí, Labrea, Pauini, São Paulo de Olivença e Tabatinga).

O estado do Pará possuía dois fusos horários diferentes, cabendo à parte oriental do estado o atual fuso de todo o estado (UTC −3), enquanto à parte ocidental cabia o fuso UTC −4.

Em relação ao estado do Acre, o Decreto Legislativo n.° 900/2009 convocou referendo, a ser realizado juntamente com as eleições de 2010, para verificar a alteração do horário legal promovida no estado. O Tribunal Regional Eleitoral do Acre definiu que o pleito fosse realizado no dia 31 de outubro de 2010, juntamente com o segundo turno das eleições. A lei foi sancionada pela presidente Dilma Rousseff somente em 30 de outubro de 2013, determinando a volta do quarto fuso horário no estado do Acre e em mais treze municípios do Amazonas, a partir de 10 de novembro de 2013, conforme resultado do referendo realizado em 2010. Este fuso está duas horas antes do horário de Brasília (sendo três horas durante o horário de verão), e cinco horas antes de Greenwich.


Limites

Estendem-se por 23.086 km. Os limites com países da América do Sul são de 15.719 km. A maior fronteira é com a Bolívia (3.126 km) e a menor com o Suriname (593 km). Os únicos países sul-americanos sem fronteiras com o Brasil são Chile e Equador. Os restantes 7.367 km são banhados pelo oceano Atlântico, desde a foz do rio Oiapoque, no cabo Orange, fronteira Amapá/Guiana Francesa, até a foz do arroio Chuí, fronteira Rio Grande do Sul/Uruguai. 


Pontos extremos 

Ao norte, a nascente do rio Ailã, na serra de Caburaí, a 5o16’20'’ N, fronteira Roraima/Guiana. Ao sul, o arroio Chuí, a 33o44’32'’ S, fronteira Rio Grande do Sul/Uruguai. A leste, a ponta de Seixas, a 34o47’30'’ O, na Paraíba. A oeste, a nascente do rio Moa, na serra de Contamana, a 73o59’32'’ O, fronteira Acre/Peru. O centro geográfico fica na margem esquerda do rio Jarina, em Barra do Garças, Mato Grosso.

Ilhas oceânicas do Brasil

O Brasil é chamado de país de dimensões continentais , devido: a distância entre seus pontos extremos, a extensão litorânea e a extensão das fronteiras terrestres e à sua área territorial Se você se aventurar a 900 km da costa brasileira, exatamente a 0D56' N e 29"22' O, possivelmente encontrará um pequeno pedaço do nosso país perdido na imensidão do Atlântico: os Penedos de São Pedro e São Paulo. Formados por cinco rochedos maiores e vários menores, eles ocupam uma área de 70 000 m2. Entretanto seria pouco provável que alguém sobrevivesse ali, uma vez que esses rochedos, constituídos de rochas magmáticas, não têm água potável. O único farol da ilha, construído em 1931, foi abandonado em 1933, em razão de abalos sísmicos. De origem vulcânica, os Penedos são habitados apenas por aves marinhas, que cobrem as ilhotas com seus excrementos que formam o guano, adubo orgânico natural.
Esse, porém, não é o único lugar no oceano Atlântico onde esse fato poderia ocorrer. Além do vasto espaço continental e das incontáveis ilhas que acompanham o litoral brasileiro, pontos "perdidos" nesse oceano fazem parte do território nacional: o arquipélago de Fernando de Noronha, a ilha de Trindade, o grupo Martim Vaz e o atol das Rocas que, junto com os Penedos de São Pedro e São Paulo, constituem as ilhas oceânicas brasileiras. Todas elas têm origem vulcânica, com exceção do atol das Rocas, que é também o único do oceano Atlântico.